Entrevista a Portugal

Canção final - Entrevista a Portugal
00:00 / 00:00
D. Afonso Henriques - Entrevista a Portugal
00:00 / 00:00
Descobrimentos - Entrevista a Portugal
00:00 / 00:00
Ínclita geração - Entrevista a Portugal
00:00 / 00:00
Invasões napoleónicas - Entrevista a Portugal
00:00 / 00:00
República - Entrevista a Portugal
00:00 / 00:00
Restauração da independência - Entrevista a Portugal
00:00 / 00:00

PARTE I

1ª Dinastia - D. Afonso Henriques

 

JOSÉ HERMANO SARAIVA - Esta é a história da formação do País mais antigo da Europa...Este país chama-se Portugal, mas a sua formação enquanto estado-nação não foi pacifica nem fácil. E envolveu, como é costume, conspirações, revoltas e batalhas...Envolveu até uma luta entre mãe e filho.

 

Ora vejamos...

Há muito muito tempo, quando parte da Península Ibérica ainda se encontrava ocupada pelos Mouros e outra parte se encontrava ainda divida em diferentes reinos. D. Henrique de Borgonha, como recompensa pelos serviços que prestou ao Rei de Castela, na luta contra os mouros, recebeu o Condado Portucalense e casou-se com a própria filha do Rei de Castela (D. Teresa). Desta união nasceu então D. Afonso Henriques...

Mas o Conde D. Henrique tinha um sonho...transformar aquele condado num reino independente... algo que não chegou a conseguir em vida, mas que o seu filho, D. Afonso Henriques, conseguiu anos mais tarde...

 

D. AFONSO HENRIQUES - Mas minha mãe, vós não entendeis que é melhor para todos nós, alcançar a independência do condado?

 

D. TERESA - O quê? Fundar um reino?

 

D. AFONSO HENRIQUES - Sim! Um reino! O reino de Portugal!

 

D. TERESA- Mas vós estais doido? Achais mesmo possível fazer frente ao vosso primo Afonso VII, imperador de toda a hispânia?

 

D. AFONSO HENRIQUES - Não só farei frente a Afonso VII, como também aos mouros.

 

D. TERESA- Mas sem a guarda de seu primo nós seremos conquistados pelos mouros!

 

D. AFONSO HENRIQUES - Os mouros, Leão e Castela é que irão precisar de guarda para se defenderem de nós.

 

D. TERESA- Já vi que não à volta a dar... A partir de agora seguiremos caminhos diferentes!

 

D. AFONSO HENRIQUES - Assim seja minha mãe!

 

JOSÉ HERMANO SARAIVA - E assim se iniciou um longo e duro caminho.

 A primeira Batalha pela posse do Condado Portucalense foi a Batalha de S. Mamede, que D. Afonso Henriques travou contra a sua própria mãe. E venceu ...O Condado Portucalense era então seu!

  1. Afonso Henriques travou ainda a Batalha de Ourique contra os Mouros, e venceu novamente!

 

SOLDADO 1 - Meu rei! Meu rei! Minha Alteza, chegou há pouco uma mensagem do Condado Portucalense, parece ter vindo da parte do seu primo, D. Afonso Henriques. 

 

D. AFONSO VII - (lê a carta)  Esse vassalo está a desafiar-me, quem pensa ele que é para desafiar o próprio Rei! Fugirá a sete pés quando vir o nosso exército! Quer independência, pois terá é guerra!

 

D. AFONSO VII - Chamem o chefe de armas já! Quero tudo a postos e em formatura pois partiremos brevemente para mais uma batalha!

 

SOLDADO 2 - Sim Minha Alteza é para já!

 

JOSÉ HERMANO SARAIVA - A batalha seguinte foi assim travada entre D. Afonso VII,  o  Rei de Leão e Castela e o seu primo D. Afonso Henriques, em 1140, em Valdevez! E adivinhem... D. Afonso Henriques venceu novamente!

 

No campo de batalha: 

 

D. AFONSO VII - Pelo reino de Leão e Castela! Soldados vamos parar esses reles desertores! Pelo Rei, pelo Reino, pela Hispânia!

 

GRUPO DE SOLDADOS COMBATENTES A - Pelo Rei, pelo Reino, pela Hispânia!

 

D. AFONSO HENRIQUES - Pela independência, pelo nosso reino de Portucal!

 

GRUPO DE SOLDADOS COMBATENTES B - Por D. Afonso Henriques, por Portucal, pela independência do Condado!

 

(Batalha)

No final da Batalha:

 

D. AFONSO VII - Quero Paz! Venceste e dar-te-ei o que tantos desejais! Mostrais ter a força e a coragem para conduzir os desígnios do teu próprio reino!

 

D. AFONSO HENRIQUES - Paz é também o que desejo! Desde que consiga a independência e a autonomia para o meu território!

 

(Dão um aperto de mãos.)

 

JOSÉ HERMANO SARAIVA - Em 1143, foi então assinado o Tratado de Zamora e foi declarada a independência do Condado Portucalense que passou a chamar-se Reino de Portugal e a D. Afonso Henriques foi assim atribuído título de Rei!

Os sucessores de D.Afonso Henriques continuaram as suas lutas e os seus gloriosos feitos. O primeiro foi seu filho D. Sancho I

D. SANCHO I -  Olá eu sou o Rei D. Sancho I mas também conhecido por “o Povoador”; 

D. AFONSO II -  Eu também sou Afonso mas já sou o segundo, e a minha alcunha é o  “Gordo”; 

D. SANCHO II -  Aqui estou eu o segundo Sancho da Dinastia, também conhecido por “o Capelo”;

D. AFONSO III - Eu já sou o terceiro Afonso, digam lá se não é um bonito nome? E a mim chamam-me “O Bolonhês”. Atenção porque em 1249 fui eu que finalmente conquistei o Algarve aos mouros e Portugal ficou do tamanho que hoje conhecemos. As fronteiras foram estabelecidas!

JOSÉ HERMANO SARAIVA - Seguiram-se ainda:

D. DINIS - Eu sou D. Dinis, O Lavrador, o Trovoresco e o Poeta, sou um rei muito dotado não vos parece?

D. AFONSO  IV -  É verdade eu já sou o quarto dos Afonsos, dá para acreditar? Que falta de originalidade na escolha do nome mas eu cá sou um “Bravo”!

D. PEDRO I -  Eu sou o Rei D. Pedro, e tive um grande amor sabiam?! Ela chamava-se Inês. A minha bela Inês de Castro! Fiquei para sempre enamorado. 

D. FERNANDO I - Meu nome é D. Fernando fui o último Rei desta esplêndida dinastia, são todos da minha família. Sou mui belo e mui formoso, e não sou só eu a dizê-lo! Mas fui um pouco desastroso na condução do meu pais! Já fiz três guerras com Castela. Cuidado porque após a minha vida alguns perigos nos espreitam e maus caros  portugueses ...podemos até tropeçar e cair!

JOSÉ HERMANO SARAIVA - E foi esta a 1ª Dinastia com os seus nove Reis!

PARTE II

D. João I e a Ínclita Geração

JOSÉ HERMANO SARAIVA - Como D. Fernando não havia deixado um filho homem, após muita controvérsia, é o João Grão Mestre de Avis que acaba por ser aclamado Rei de Portugal e inicia-se assim uma nova dinastia, A Dinastia de Avis.

NOBRE 1 - Nestas cortes de Coimbra te declaramos D. João I , Rei de Portugal!

D. JOÃO I (Mestre de Avis) - Pelo Reino de Portugal sempre lutarei e honrarei esta coroa!

JOSÉ HERMANO SARAIVA - Mas o Rei João I de Castela, que havia casado com a filha de D. Fernando, não gostou desta aclamação e decidiu invadir Portugal.

JOÃO I DE CASTELA - Minha nobre esposa esse tal João de Avis não tem o direito de ocupar o lugar que outrora foi de seu pai. Apenas a nossa família terá esse direito e deveremos reinar em Portugal também!

INFANTA BEATRIZ - Meu real esposo é bem verdade o que dizeis!

JOÃO I DE CASTELA  - Não permitirei tal abuso e avançarei sobre Portugal!

JOSÉ HERMANO SARAIVA - Ocorreu uma primeira Batalha em Trancoso, em que D. João I de Portugal venceu a expedição de D. João I de Castela. E será finalmente na grande Batalha de Aljubarrota, com a ajuda de um destacamento inglês, que D. João de Castela é finalmente derrotado apesar de possuir um exército maior do que o português.  Que o diga a Padeira de Aljubarrota...

PADEIRA DE ALJUBARROTA  - Com a minha pá de padeira tratei da saúde a sete castelhanos que encontravam escondidos no forno, ora vejam lá bem! Sou uma verdadeira patriótica!

 

JOSÉ HERMANO SARAIVA - O Rei João I de Portugal casou-se então com a princesa inglesa Filipa de Lencastre e assim tiveram seis infantes:

FILIPA DE LENCASTRE  -  antes da peste me atacar tive seis lindos e brilhantes infantes. O meu Infante Duarte:

INFANTE DUARTE -  sou o mais velho e por isso Rei de Portugal um dia também serei.

FILIPA DE LENCASTRE - o meu Infante Pedro...

INFANTE PEDRO  - sou também Duque de Coimbra e dizem que sou o príncipe mais culto da minha época...

FILIPA DE LENCASTRE  -  O meu Infante Henrique...

FILIPA DE LENCASTRE - o meu Infante Pedro...

INFANTE HENRIQUE - sou também o duque de Viseu, também conhecido por O Navegador pois fui eu quem impulsionou os Descobrimentos Portugueses.

FILIPA DE LENCASTRE -  A minha Infanta Isabel...

INFANTE ISABEL DE PORTUGAL -  sou também duquesa de Borgonha pois casei com o duque de Borgonha e por ele até falei em várias ocasiões. Por amor o meu esposo até criou uma Ordem em meu nome. Fui uma verdadeira mulher de fibra ...

FILIPA DE LENCASTRE - O meu Infante João...

INFANTE JOÃO -  fui também Condestável de Portugal, um cargo militar muito importante neste época.

FILIPA DE LENCASTRE E o meu Infante Fernando, foi um santo!

INFANTE FERNANDO -  Sou chamado de Infante Santo, pois fiquei prisioneiro já que o meu irmão Henrique, o Navegador,  não quis abdicar da cidade de Ceuta em troca da minha liberdade e preso assim permaneci no Norte de África!

JOSÉ HERMANO SARAIVA - A seguir a D. João I, o Rei da Boa Memória, seguiram-se outros na sua Dinastia. O seu filho mais velho D. Duarte...

D. DUARTE - Eu disse-vos que um dia seria Rei! Sou Duarte, o filho mais mais velho, mas também sou o Eloquente ou Rei-Filósofo pois escrevi vários livros... 

D. AFONSO V - sou o quinto dos Afonsos a reinar, mas a mim chamam-me já o africano adivinhem por que será? Gosto tanto de expedições...

D. JOÃO II - Sou João Segundo, há quem me chame O Príncipe Perfeito e há quem me chame O Tirano, mas fui eu quem dividiu o Mundo em dois...

D. MANUEL - Sou D. Manuel o Ventoroso e foi comigo que os Descobrimentos brilharam...

D. JOÃO III - Sou o João Terceiro, o Piedoso, pois devoto eu sou! Herdei um vasto império mas dos meus filhos nenhum restou...

D. SEBASTIÃO - Sou D. Sebastião, e sou hoje ainda muito Desejado, pois desapareci na batalha de Alcácer Quibir, deixando assim o país numa crise

D. HENRIQUE - Sou D. Henrique, o Casto, e tomei posse bastante tarde porque o meu sobrinho desapareceu em Alcácer-Quibir. Até aí eu era somente um simples cardeal...

D. ANTÓNIO - Sou D. António, Prior do Crato, e reinei apenas um mês no nosso país porque o malvado D. Filipe II de Espanha invadiu Portugal reclamando o trono...e comigo terminou a dinastia dos Avis!

PARTE III

Restauração da Independência

 

JOSÉ HERMANO SARAIVA - D. Filipe II de Espanha acabou por ser reconhecido, pelas Cortes de Tomar de 1581, como Filipe I de Portugal. Iniciava-se uma nova Dinastia,  a Dinastia Filipina. Mas nem todos aceitaram este novo Reinado. Dois Filipes lhe sucedem, Filipe II (o Pio) e Filipe III (o Grande).

Até que um grupo de nobres revoltosos convenceram então D. João de Bragança a aderir à conspiração em curso, pois ele era o mais forte candidato ao trono de Portugal. 

NOBRE 1- Caros senhores não podemos permitir a continuação deste domínio sobre Portugal!

NOBRE 2 - Filipe III tem que ser derrubado!

NOBRE 3 - Teremos que encontrar um novo Rei e eu penso que João de Bragança reúne todas as condições para ser o novo Rei de Portugal e de todos os portugueses!

NOBRE 4 - Parece-me bem! Que assim seja então...Alguém se opõe?

NOBRE 5 - João de Bragança deverá então juntar-se a nós nesta tentativa!

NOBRE 6 - Que assim seja. Pelo Reino, por Portugal, avançaremos!

 

JOSÉ HERMANO SARAIVA - E a dia 1 de Dezembro de 1640 ocorre então a revolta contra o domínio Filipino em Portugal. O grupo invadiu de surpresa o Palácio real, no Terreiro do Paço, e prenderam a então vice-Rainha obrigando-a a dar ordens às suas tropas para se renderem. 

NOBRE 7  - Viva o Reino de Portugal, viva D. João IV, O RESTAURADOR, o nosso Novo Rei de Portugal!

JOSÉ HERMANO SARAIVA - E assim começou a quarta e última dinastia portuguesa, a dinastia de Bragança!

Parte IV

D. Maria I e o exílio para o Brasil

JOSÉ HERMANO SARAIVA - Após D. João IV , houve D. Afonso VI, D. Pedro II, D. João V e D. José. Nesta Dinastia iremos apenas destacar,o monarca que se segui, que foi D. Maria I, A Pieadosa, a Pia , a primeira Rainha Governante de Portugal. 

 

D. MARIA I - Rápido meu filho porque devemos zarpar daqui o quanto antes com destino ao Brasil! Acabaram de me chegar notícias do avanço de Napoleão em direcção a Portugal! Esse grande Charlatão! 

D. JOÃO VI - Depois da maldita Revolução em França era só o que nos faltava, esse Napoleão aqui também! Como se atreve ele?!

D. MARIA I - Logo eu, que tentei ser tão boa para os meus súbitos. Até criei a  Casa Pia de Lisboa. Tanto fiz pelas ciências e artes e é esta a paga que agora tenho! Ter de fugir do meu País!

D. JOÃO VI - Descansai minha mãe porque a nossa coroa haveremos de conservar!

 

JOSÉ HERMANO SARAIVA - Seguiram-lhe no trono o seu filho D. João VI, D. Pedro IV, D. Miguel, D. Maria II, D. Pedro V, D. Luis... Seguiram-se o Rei D. Carlos e por fim o Rei D. Manuel II, seu filho.

Parte V

Implementação da República

 

JOSÉ HERMANO SARAIVA - E assim avançámos para o final da Monarquia. Em 1908 o Rei D. Carlos e o seu filho mais velho Luis Filipe tiveram um trágico final no Terreiro do Paço. O Rei D. Manuel II, filho de D. Carlos, assumiu assim o trono. Mas a 5 de Outubro de 1910 um golpe de Estado levado a cabo por republicanos terminou com a monarquia em Portugal. 

 

POPULAR 1 (na rua) - Finalmente temos uma República em Portugal! Podemos finalmente escolher o nosso Presidente!

POPULAR 2 (na rua) - Sim e parece que o Rei fugiu para Inglaterra! 

POPULAR 3 (na rua) - É esta uma grande mudança para Portugal, tal como já aconteceu noutros países!

POPULAR 4 (na rua) - É verdade, já viram a nova bandeira da nação? E o novo hino, já escutaram? Chama-se a Portuguesa, em breve será cantado por toda a gente!